Magica do Amor

| Nenhum comentário · Comentar
(publicado pela primeira vez em 03.01.2009)
O prazer de se envolver
De se entregar, se doar
Prazer de renascer
Prazer de sorrir e viver

São prazeres mágicos
Únicos, indescritíveis
São tesouros que a vida esconde
E só quem acha sabe viver

E se você sabe, muito bem
Do que lhe ouso subscrever
E se você me entende, realmente
Do assunto que tento a tona trazer

sabes, enfim, que isso é mágico,
Irrelatável, indescritível
Inegável, Viciante
É a forma viva de todo adjetivo

Sabes, também,
Que é a solução de qualquer mistério
Seja da vida, da morte, do existir
Do ser ou não ser,

É o que miraboliza todas as exatas descrições
Seja do orvalho do amanhecer
Ou do sereno do anoitecer
Da respiração, do pulsar do coração

É essa magia que não banaliza nada
Que faz uma simples borboleta
Se transformar em militante da paixão
Que faz vomitar nossas utopias

Esta magia transforma um simples vento
Em um grandioso concerto,
Transforma suas uivadas
Em belíssimos solos e falsetes

E quem abomina tais transformações
E quem exige provas concretas, e cientificidade
É porque não encontrou esse tesouro da vida
Desistiu, fugiu, e ainda foge.

E se sabes o que digo
Sabes também que não minto, não invento, nem crio
Apenas desperto, relembro e a torno legível
E faço mais um mapa para encontrá-lo

E isso é mágico,
E assim como a mágica, faz desaparecer e aparecer
Desaparece com coisas ruins, com o óbvio
Aparece com coisas boas, ilógicas

E todos tem o seu próprio
Porém ele é um só, e infindável
Não se pode trocá-lo por dinheiro
Não têm valor algum pra quem não o usa

É inestimável, e não há quem utilizou mais
Nem quem utilizou menos
Apenas se sabe quem o utiliza
Pois isso é sentido, é mágico

É a mágica do amor
markinhos.com