Mutualidades: Voce-e-Verso

| Nenhum comentário · Comentar
(publicado pela primeira vez em 08.02.2009)
Casualmente, te encontrei
Momentâneamente, me aproximei
Inevitavelmente, me apaixonei
Tolamente, me afastei

Não querer sofrer me fez te ignorar
O medo de tentar me fez afastar
De seus olhares, ele me fez desviar,
Mas ele não fez me deixar de te amar.

E como um apaixonado, eu sempre te quis
Nunca deixei de te desejar,
E o ciúmes só fortalecia a minha atitude,
De te desprezar, de te ignorar, mas te amar

E por mais que seus olhos procurassem os meus,
Eu, burro, te ignorava ainda mais,
Como se te odiasse,
Como se não te conhecesse,

Mas eu conheço cada gesto teu,
Conheço tua caminhada,
Sei qual teu perfume,
Decorei teu jeito de falar.

E tudo isso eu sei, como ninguém
Pois não percebes, mas te observo,
Te admiro, te amo
Mas te ignorava

Casualmente, novamente
Você por mim passou, e me ignorou
Agiu como eu, me desprezou
Como se não me conhecesse.

Eu, fiquei feliz,
Pois tua atitude refletia a minha,
E se eu te amo, isso poderia,
Ser mútuo.

E essa provável ilusão, mutualidade, me atordoou
Eu resolvi não te ignorar,
E então agi. E então você agiu.
Atitude, Olhares, o amor.

Momentâneamente, novamente
Olhares se encontraram, mutualidade
E todos os ignores se quebraram, mutualidade
Atitudes, Olhares, o amor.

E o improvável aconteceu,
Minha ilusão se concretizou,
Uma atitude minha, um olhar teu,
O amor.

E o improvável aconteceu
Sua ilusão se concretizou
Uma atitude sua, um olhar meu.
O amor

Mutualidade de sentimentos
Uma atitude minha, outra tua
Um olhar meu, outro teu
Nós dois, duas palavras: Te amo.

markinhos.com