ainda que

| Nenhum comentário · Comentar
Mesmo que eu tenha um punhado de versos amontoados em duas mãos contando sobre o sangue escorrido das mãos dEle, se me faltar a realidade do amor, não adiantará de nada. Mesmo que eu faça da minha própria camiseta uma bolsa para guardar as mais preciosas palavras que existam no mundo, dos mais ricos idiomas, dos mais profundos vocábulos. Ainda que eu queira buscar as mais lindas palavras extinguindo suas vogais com o objetivo de extirpar a pronúncia vocal, sem amor, não valeria nada. Seu eu enriquecer a melodia com a mais impensada harmonia de combinações quase efusivas de instrumentos, ainda sem amor, estaria perdendo tempo.

Pois sem amor as palavras são entulhos e as canções, barulhos.
markinhos.com